Últimas do instagram

Sempre vejo muitas pessoas fazendo esse tipo de post que pensei: por que não? Sempre fotografo com meu celular e raramente trago aqui para vocês. Dessa vez pensei em trazer para dar um up aqui no blog, pois está precisando mesmo! 
Quem me segue no instagram já viu todas essas fotografias, mas vou começar a trazer aqui quando obtiver uma quantidade boa com a explicação de cada uma delas. Gostaram da ideia?

Babi amor meu!


Igreja São Sebastião- Pedro Gomes/MS



Babi!


Nova leitura: After, da editora Paralela.
Minha mais linda aquisição: uma letra em mdf C!

Gostaram das fotografias?

Acompanhe o blog também em:

Músicas que me inspiram a escrever #2

Essa minha paixão pela escrita só vem aumentando e com ela, a necessidade de procurar músicas que se encaixem em mim. Com isso, quando fico enjoada das músicas que tenho, começo a procurar cantores pelo youtube para renovar minha playlist. 
Hoje trago algumas músicas que tem me inspirado a escrever os textos que veem por aqui. É uma playlist bem simples mas que me ajuda muito na hora de colocar a mão na massa para escrever. Não costumo salvar todas as minhas playlists no Grooveshark, mas admito que ter uma conta lá me ajuda bastante. Essa play não é muito diferente da outra, pois as músicas que me inspirar precisam ser calmas e cheias de emoção, cheias de amor. Espero que gostem da seleção.

Músicas que me inspiram a escrever #2 by camila lacerda on Grooveshark

Para quem não viu, minha primeira Playlist de músicas que me inspiram está Aqui!

Acompanhe o blog também em:

Cade o amor?


Você consegue pensar em quantas vezes errou em deixar seu coração perdido? Quantas vezes esqueceu de cuidar dele, acariciar e enchê-lo com palavras doces?
Estava passando por um momento difícil quando comecei a perceber certas coisas. Primeiro meu coração havia parado de bater com intensidade e segundo, minhas mãos continuavam frias demais para ser verdade. Estava começando a esquecer muitas coisas, parecia que meu cérebro já não era mais esperto. Meu andar estava baixo, como quando temos vergonha de alguém. Meus olhos sempre acabavam se perdendo em um pôr do sol e lentamente se desvanecia. 
Quero dizer que cansei. Cansei de precisar de pessoas. Cansei de olhar para os lados e ver vazios estranhos me olhando com inquietação, sem ao menos perceberem que precisam me observar para serem felizes. Seria mais útil se valorizassem quem possuem ao lado. Por isso me canso tanto de pessoas vazias sabe? Já escrevi sobre isso, mas a cada dia a inquietação e insatisfação me puxam para escrever sobre isso. Por que? Não sei.
As pessoas não conseguem guardar rancor sozinhas e começam a jorrar olhares maldosos e falatórios para todos os lados. Tenho pena. Só pena. Seria mais bonito se seus corações estivessem revestidos de amor. Quisera eu transformar cada coraçãozinho que surgisse!
Preciso sentir amor. Preciso acariciar minha alma e dizer que tudo ficará bem, que voltará a fazer sorrir quem a ama e que o preto se transformará em um vermelho vivo, com paixão e amor, amor e paixão, com um beijo de boa noite e um cheiro único. Sabe aquele cheiro do amor? É esse o cheiro que estou falando. O cheiro que impregna de uma maneira gostosa, mas suave. O cheiro que pode ser sentido mesmo de muito longe.
Muitas vezes paro e penso: cade o amor? Onde se escondeu? Não quero que tenha se transformado em brisa que sinto todos os dias quando acordo e quando me deito. Não quero que ele tenha se perdido de mim, ou me esquecido, ou ainda se enterrado de tanto sofrer e pesar. Quero o amor em sentir e não em ter. O ter pode fugir a qualquer momento e o sentir... Bom, o sentir é guardado no coração.

Gostaram da crônica de hoje?

Acompanhe o blog também em:

A melodia das palavras


"De dentro para fora. De fora para dentro. Tudo o que a vida trás são sentimentos. Vazios ou não, eles existem e nos fazem coexistir com cada pedacinho de pó. Não adianta dizer adeus. Isso acaba criando uma desconexão terrível entre você e o afora. 
E assim vou despejando falas e palavras aleatórias sem desejar que elas se percam. Talvez seja por isso que possuo diversos cadernos e agendas.. Para minhas palavras não se perderem sem sentido, como se vagassem em busca de ouvidos. Elas precisam ser sentidas por pessoas. Por pessoas de vida e não de dor. Por pessoas vivas e intensas. Por pessoas leves e amadas. Por pessoas bonitas de ver. Por pessoas que amam, viver. Eu sei que insisto nessa de viver, mas é assim que precisa ser. É assim que meu coração sente essas batidas. É como tocar um piano com os olhos e ouvir intensamente cada nota vendo suas lágrimas escorrendo pelos cantos.
Minhas palavras não buscam ouvidos nem poesias. Elas buscam bocas que estejam dispostas a beijar e abraçar. Beijar e abraçar o viver intenso do amor, do amar. Do amar com bobeira. Do amar engraçado sabe? Desse amar que sorri de canto e não desses que se derramam em gargalhadas. Algo simples, mas que brilhe eternamente. Entende?
Estou um pouco cansada de dedilhar amor. Mas é como se esse cansaço durasse o tempo de outro beijo chegar. Não sei porque isso. Não sei porque as palavras sempre correm para meu lado pedindo socorro. Elas criam vida em menos de minutos e sorrateiramente amolecem meu coração. Aí, de repente, quando tudo parece calmo demais, elas ressurgem. Eu não peço, não clamo e não choro. Elas balançam meus dedos. E sabe? Eu amo essa sensação de amor esmagado em forma de palavras."

O que acharam do texto?

Acompanhe o blog também em:

Porque eu amo fotografar as flores

Acredito que todo fotógrafo iniciante começa fotografando a natureza, principalmente as flores. Como sabem, há uns meses comecei a admirar essa arte da fotografia e mesmo não tendo minha câmera profissional ainda, a minha compacta quebra muitos galhos e com ela consigo praticar quando posso. Eu amo fotografar as flores (como podem ver nesse post)e acredito que assim é um ótimo jeito para aprender a fazer cliques lindos da natureza. 
Domingo... Para muitos é um dia de ficar dormindo e descansando. Mas eu prefiro fazer algo de útil e hoje tirei um tempinho para fotografar algumas das flores que minha mãe possui em casa. Minha mãe ama cuidar de plantas e cresci nesse meio, mesmo não tendo paciência alguma para cuidar. Em meio a isso, aproveitei para fotografá-las e dar um up aqui no blog, pois está precisando não é mesmo? Espero que gostem dos cliques da vez e podem ter certeza que terá muito mais fotografias de flores por aqui...





E para fechar bem esse post, uma fotografia do céu de hoje!!

Gostaram das fotografias? Gostam de fotografar flores?

Acompanhe o blog também em:

23 anos, Campo Grande/MS, Cristã, Nutricionista, apaixonada pela escrita e por livros, fotografia, amante da arte em si. Gosto de leveza, amor, simplicidade, rock in roll, chocolate, listas e organização, amo animais, fofurices e itens de papelaria. Compartilho aqui minha vida, tudo o que me faz feliz e tudo aquilo que me inspira a viver.

 
Chá de Calmila © Todos os direitos reservados. Ilustração por Malena Flores :: voltar para o topo